Pular para o conteúdo principal

ANIMAIS RECOLHIDOS NO PINHEIRINHO TÊM FERIMENTOS DE BALAS DE BORRACHAS E RETROESCAVADEIRA

Animais mortos, feridos e passando fome são encontrados diariamente no local onde ficava a antiga comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos, cidade a 93 km de São Paulo. Os bichos ficaram no local após a reintegração de posse determinada pela Justiça no dia 22 de janeiro.
Os animais são recolhidos por um grupo de 20 voluntários. A veterinária Veriane Araújo é uma delas. A especialista classifica o local como um "cenário de horror". Segundo Veriane, desde a reintegração até o agora, já foram recolhidos 350 animais do local: 200 pela carrocinha da prefeitura da cidade e 150 pelo grupo.
- Parece que explodiu uma bomba atômica (no Pinheirinho), o ambiente é muito hostil. Encontramos muitos animais machucados por tiros de bala de borracha, máquinas retroescavadeiras que demoliram as casas sem olhar o que tinha dentro. Infelizmente, um cão é muito fiel ao proprietário e ele não sai de dentro de casa. Achamos muitos animais mortos, vários por ferimentos e outros por falta de comida e por sede.
Veriane conta que, após serem encontrados, os animais são medicados, as bicheiras são retiradas e, depois, eles são encaminhados para ONGs que se dispõem a recebê-los. De acordo com a veterinária, a estimativa é de que existam ainda cerca de 500 animais perdidos no Pinheirinho.
- Nós estamos ainda na parte alta da região. A parte de baixo é mais perigosa e ainda não conseguimos chegar lá. Já participei como voluntária em várias tragédias e essa é a pior. Quando teve a tragédia em Nova Friburgo, no Rio, tive apoio de muita gente. A polícia ambiental foi ao local, o Exército, muitos veterinários, muitas doações foram mandadas, de remédios, comida. Aqui, agora que as coisas estão chegando.
O trabalho dos voluntários não tem data para terminar. O grupo pede doações de ração e medicamentos para os animais. Os interessados devem enviar e-mail para spaveriane@yahoo.com.br ou ligar para (12) 8144-0044.

Saiba AQUI onde estão os postos de coleta para ajudar os animais do Pinheirinho

Domingo Espetacular - Record - 29/01/2012

Fonte: R7

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…