Pular para o conteúdo principal

Cadela é resgatada após ser banhada com diesel e sofrer intoxicação em MT

Animal abandonado foi encontrado agonizando em rua de Colíder.
Veterinário informou que cadela de raça passa por desintoxicação.

Cadela foi resgatada quando estava banhada de óleo
(Foto: Cícero Bezerra Marques de Sá/ Arquivo pessoal)
Vítima de maus tratos, uma cadela da raça teckel foi resgatada das ruas de Colíder, a 648 km de Cuiabá, em estado grave de intoxicação. Ela foi encontrada na terça-feira (19) e está internada em uma clínica veterinária da cidade, ainda sem previsão de alta. O animal de rua, batizado de 'S10', pelo médico veterinário Cícero Antônio Bezerra Marques de Sá, que a atendeu, foi banhado de óleo diesel, o que causou a intoxicação. O responsável pelos maus tratos, porém, ainda não foi identificado.

"Ela estava com intoxicação grave e já estava com a respiração ofegante, batimento cardíado acelerado. Ela está passando por um processo de desintoxicação e já está
um pouco melhor", disse o veterinário. Cícero avaliou que alguém deve ter jogado óleo diesel no animal, imaginando que pudesse curá-la de alguma enfermidade. "Reza a lenda que o óleo diesel acaba com alguns problemas, como sarnas, carrapatos. Pode até combater com esses problemas, mas acaba com o animal também", pontuou.

A intoxicação, segundo ele, se dá porque ao lamber o corpo para retirar o óleo o animal acaba ingerindo a substância. O veterinário contou que quem encontrou o animal foi o delegado Bruno Abreu, da Polícia Civil da região, que mora na cidade e que se mostra sensível aos casos de maus tratos aos animais.

Na sua página em um site de relacionamento, o delegado pediu que os moradores denunciem à polícia o autor dos maus tratos à cadela que ele encontrou agonizando na esquina de uma avenida da cidade e garantiu sigilo. "Sei que minha profissão exige profissionalismo, frieza e respeito aos direitos de qualquer pessoa suspeita de um delito, mas quanta frieza tem que se ter com um cidadão que de graça jogou óleo diesel queimado numa cadelinha de rua indefesa. O que está acontecendo com as pessoas?", questionou o delegado.

Quando se configura o crime de maus-tratos, a pena para os envolvidos varia de 3 meses a um ano de detenção. Além disso, o culpado tem os direitos de cidadão restringidos, não podendo viajar sem avisar a Justiça, e pode receber uma multa de acordo com o poder aquisitivo.

Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…