Pular para o conteúdo principal

Campanha da PETA contra uso de pelos angorá de coelhos - China

A PETA está mostrando como o pelo é arrancado dos coelhos e pedindo para todos divulgarem. Ao final, ela pede para todos assinem um compromisso de jamais usarem nada que tenha pelo "angorá" em qualquer roupa....

Depois de assistir este vídeo, você nunca vai comprar angorá novamente.

AS CENAS SÃO FORTES!



A filmagem secreta, feito pela PETA Ásia, encontrou terrível crueldade na rotina com coelhos angorá, cujo pêlo longo e macio é freqüentemente usado em blusas e acessórios. O investigador filmou os
trabalhadores violentamente arrancando os pelos da pele sensível dos animais fazendo com que eles gritassem ao máximo de seus pulmões de tanta dor.

Após essa provação terrível e bárbara, que os coelhos suportam a cada três meses , muitos deles pareciam entrar em choque, deitados imóveis dentro de suas minúsculas gaiolas sujas, sem piso sólido ou roupa de cama, e sem a companhia vital de outros coelhos. Depois de dois a cinco anos , os que sobreviveram são pendurados de cabeça para baixo, suas gargantas são cortadas, e seus corpos são vendidos.

Coelhos que têm o pelo cortado também sofrem: Durante o processo de corte, sua patas traseiras e dianteiras são bem amarrados, uma experiência aterrorizante para qualquer presa e as ferramentas de corte afiadas, inevitavelmente, acabam por ferí-los porque eles lutam desesperadamente para escapar.

Noventa por cento das peles angorá vem da China, onde não há penalidades para o abuso de animais em fazendas e sem padrões para regular o tratamento dos animais. Quando você compra uma camisola, chapéu, ou outros produtos que contém angorá, a pele angorá provavelmente se originou na China, mesmo que o produto acabado foi montado em outro lugar.

Os coelhos são animais gentis, socialmente complexos e inteligentes, com personalidades individuais, assim como cães e gatos. Em seu habitat natural, os coelhos vivem em tocas escrupulosamente limpas e gastam seu tempo procurando comida fresca, arborizada e interagindo com os membros do seu labirinto.

Como você pode ajudar os Coelhos


POR FAVOR, SE COMPROMETA A DEIXAR PELE DE COELHO ANGORÁ FORA DO SEU GUARDA-ROUPA. É FÁCIL DE VERIFICAR O RÓTULO QUANDO VOCÊ ESTÁ COMPRANDO E, SE ELE DIZ QUE "ANGORÁ", NÃO COMPRE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…