Pular para o conteúdo principal

Garotinhas resgatam e cuidam de filhotes em meio a destroços nas Filipinas

Vídeo emociona na web ao mostrar voluntários distribuindo ração para bichos que sobreviveram ao tufão Haiyan; grupo acredita que 130 mil animais estejam em situação de risco nas regiões afetadas

Meninas encontram e resgatam filhotes.
Foto: Divulgação/IFAW (International Fund for Animal Welfare)
Está em Tacloban, nas Filipinas, um grupo de voluntários e veterinários da IFAW (International Fund for Animal Welfare). Eles distribuem ração para os animais que sobreviveram ao tufão Haiyan. Os bichos encontrados vivostambém são vacinados. 

O grupo acredita que 130 mil animais estejam em situação de risco na região. Famintos, feridos e desidratados, muitos devem morrer nos próximos dias se não forrem encontrados. Para ajudar o maior número possível de bichinhos, os membros da IFAW contam com a ajuda da ONG filipina PAWS (Philippine Animal Welfare Society).

Em suas andanças por Tacloban, o grupo encontrou uma dupla de garotinhas que, além de sobreviver ao desastre, resgatou filhotinhos da enchente. Os animais viraram os xodós das meninas, que fizeram dos cães um motivo para seguir lutando pela vida no país devastado.

Apesar da tristeza em ter perdido tudo, elas brincam com os cachorrinhos quase o dia todo. Membros da família das crianças e dezenas de desconhecidos estão amontoados em um cômodo de uma casa que permaneceu inteiro após o tufão.

Os cães encontrados pelas menina. 
Foto: Divulgação/IFAW (International Fund for Animal Welfare)


















Um vídeo mostra a ação dos voluntários da IFAW e o momento em que eles encontram as meninas que salvaram e adotaram os filhotes. Divulgadas na web, as imagens estão emocionando milhares de internautas. ASSISTA AQUI:



Cão sobrevivente ganha ração de um voluntário.
Foto: Divulgação/IFAW (International Fund for Animal Welfare)
Cão pastor alemão em meio a destroços.
Foto: Divulgação/IFAW (International Fund for Animal Welfare)

Filipino ajuda cães presos em uma casa.
Foto: Divulgação/IFAW (International Fund for Animal Welfare)





















































Fonte: Globo Rural

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…