Pular para o conteúdo principal

Vira-lata é o primeiro cão a escalar o Everest

Rupee não teve problemas em se ajustar à alta altitude
ou sua primeira experiência com a neve 

Joanne Lefson / worldwooftour.com / AFP
Um filhote vira-lata resgatado de um lixão na Índia se tornou o primeiro cão do mundo a escalar o Monte Everest, anunciou sua dona nesta quarta-feira.

A ex-jogadora de golfe profissional Joanne Lefson contou à AFP que adotou o cachorro de 11 meses, chamado Rupee, na cidade indiana de Leh, em setembro passado, e decidiu levá-lo com ela nessa aventura ao Everest.

A dupla iniciou a "Expedição Vira-Lata Everest 2013" na cidade himalaia de Lukla, em 14 de outubro, com o objetivo de conscientizar as pessoas para os problemas dos cachorros abandonados e promover sua adoção.

Eles completaram o desafio 13 dias depois, o que foi descrito por Lefson no Facebook como "um passo gigante para os caninos".
"Estou muito orgulhosa de Rupee. Achei que teria de carregá-los alguns dias, mas, ao contrário, ele assumiu a liderança e acabou me puxando", contou a dona.

Quando ela encontrou o filhotinho no lixão indiano, ele estava desidratado e quase morrendo.
"Ele era muito magrinho, parecia que não comia ou bebia água há dias. Eu não podia deixá-lo lá para morrer", disse ainda.
Lefson tratou de Rupee e o colocou numa dieta de proteína. Depois, com autorização do veterinário, resolveu embarcar na expedição. Rupee não teve problemas em se ajustar à alta altitude ou sua primeira experiência com a neve.
"Ele amou a neve, até comeu, e, se eu deixasse, queria dormir sobre ela", afirmou Lefson.
As fotografias postadas no Facebook mostram o cachorro junto a monges hindus em Katmandu e brincando com crianças numa cidade do Himalaia.
"Espero que esta conquista leve as pessoas a serem mais gentis com os animais. Precisamos entender que toda vida é importante", disse ainda.

Lefson também vai lançar um livro dedicado a seu antigo cachorro, Oscar, que iria originalmente acompanhá-la na expedição, mas morreu meses antes de iniciá-la.


Fonte: Band

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…