Pular para o conteúdo principal

Ibama flagra passageira com aves exóticas em Guarulhos

Animais jovens da espécie Cacatua Alba foram transportados de Portugal para o Brasil irregularmente. Multas somam R$ 10 mil

As duas aves estavam acondicionadas em um recipiente de plástico
de dimensões reduzidas (Divulgação Ibama)
Uma fiscalização conjunta entre Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Receita Federal e Ministério da Agricultura realizada no Terminal de Passageiros do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), resultou na constatação de irregularidades ambientais referentes à introdução de animais silvestres exóticos no País sem licença do órgão ambiental competente e maus-tratos a dois espécimes de ave exótica.

Em inspeção de bagagens de um voo vindo de Lisboa, Portugal, fiscais da Receita Federal e do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional identificaram, por imagens de raio-X, o transporte de dois espécimes de ave exótica. A ação aconteceu no dia 13, e os animais foram identificados por fiscais do Ibama como indivíduos jovens de cacatua alba. A espécie está listada no Apêndice II da Convenção de Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (Cites).

As duas aves estavam acondicionadas em um recipiente de plástico de dimensões reduzidas, dentro da bolsa de uma passageira brasileira. Elas ficaram por cerca de doze horas, duração do voo Lisboa–São Paulo, submetidas a essas condições.

Além das condições inadequadas de transporte das aves, outro ilícito ambiental cometido refere-se à introdução de espécime animal silvestre exótico no país sem parecer técnico oficial favorável e licença expedida pela autoridade ambiental competente.

Como a passageira responsável pelo transporte das aves não apresentou qualquer documentação que autorizasse a entrada das aves exóticas no país, ela foi autuada pelas infrações ambientais. As multas somam R$ 10 mil.

Fonte: Ibama

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…