Pular para o conteúdo principal

Prefeitura do Rio retira gatos de sua sede sob protesto de ONGs

A prefeitura iniciou a retirada de cerca de 52 gatos de sua sede, na Cidade Nova, no Centro do Rio, na manhã desta sexta-feira (4). Os animais viviam no Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova.

A decisão de retirar os animais aconteceu após denúncia de possível insalubridade nos locais habitados pelos gatos. A operação aconteceu sob protestos de representantes de ONGs que defendem os animais.

Os gatos apareceram no local na década de 90 e passaram a ser tratados por voluntários e organizações, que dão tratamento veterinário e alimentação. Uma integrante da Associação Nacional de Implementação dos Direitos dos Animais (Anida) alega que a prefeitura está descumprindo a lei de animais comunitários, de 2008, que garantiria a permanência dos felinos no local.

Durante a operação, funcionários da prefeitura utilizaram uma rede para capturar os animais. Após a captura, eles "dobravam" a rede com os gatos dentro, para que não tentassem fugir. Os integrantes das ONGs gritavam para os felinos fugirem.

Após o fim da retirada, os gatos devem ser levados para o gatil São Francisco de Assis, no Centro, e para a Fazenda Modelo, em Guaratiba, na Zona Oeste. No entanto as ONGs alegam que os animais não recebem tratamento adequado nestes locais.

Segundo a Prefeitura, a medida foi tomada pois a Subsecretaria de Vigilância Sanitária constatou que a urina e as fezes deixadas pelos animais ofereciam riscos à saúde das pessoas que frequentam o prédio, principalmente as crianças da creche da Prefeitura.

Quando o local foi vistoriado, constatou-se ainda que os gatos também estavam sujeitos a perigo. Muitas vezes, ficavam feridos e até morriam no contato com a rede elétrica. Como esclareceu a Prefeitura, o CASS acabou se tornando lugar onde as pessoas costumavam abandonar gatos, inclusive doentes, o que dificultava o controle de doenças.

"Eles não são bem cuidados (nesses locais). Aqui as organizações compram rações de qualidade para eles. Nos abrigos eles dão ração de baixa qualidade. Aí eles já acostumaram com a ração boa e não comem a outra", disse Andrea Lambert, representante da Anida.

O secretário de proteção e defesa dos animais, Rafael Aloísio Freitas, esteve no local e afirmou que só cumpriu ordens do prefeito. "Estou aqui para poder garantir a proteção dos animais e a determinação do prefeito", disse o secretário.

A integrante da ONG Oito Vidas Lilian Queiroz conseguiu recuperar um dos gatos da prefeitura, durante a retirada.


Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…