Pular para o conteúdo principal

Projeto de castração de animais de rua é aprovado pelo Conselho de Saúde de Angra dos Reis, RJ

Depois de muita luta da Câmara Municipal, de ONGs, veterinários e protetores de animais foi aprovado, na última semana, pelo Conselho de Saúde, o projeto de contêineres adaptados para uso veterinário de castração de cães errantes (de rua) e domésticos. A ação visa reduzir o número de animais nas ruas e, também, o abandono de filhotes nas vias públicas. A licitação dos contêineres acontecerá ainda neste mês.

As castrações serão feitas pelos veterinários da Secretaria de Saúde, sob responsabilidade de um guardião do animal e, em casos de animais errantes, de um guardião temporário. A meta é castrar, em média, 10 animais por dia.

Os contêineres, que vão funcionar em sistema de rodízio, a fim de atender toda a população do município, serão instalados nas praças dos bairros e/ou próximos a algum órgão público. Um contêiner também atenderá a Ilha Grande, realizando o serviço de castração na Vila do Abraão e nas praias. Outro começará a prestar o serviço pelo bairro Belém. Os contêineres de castração estarão nos seguintes bairros: Japuíba, Areal, Nova Angra, Campo Belo, Vila Nova, Santa Rita II, Frade, Pontal, Parque Mambucaba, Sapinhatuba I, II e II, Camorim, Jacuecanga, Monsuaba, Ponta Leste e Garatucaia.

As castrações serão feitas por meio de agendamento prévio, na superintendência de Zoonoses. Os contêineres permanecerão na localidade até que todos os animais agendados, no período pré-determinado, tenham sido castrados, tido os pontos retirados e recebido alta do veterinário. “É importante destacar que, neste projeto, todos podem participar, enquanto que, no projeto de contratação das clínicas, somente os cidadãos cadastrados nos programas sociais do governo federal e as ONGs de proteção ao animal serão atendidos. Com estes dois projetos em andamento, pretendemos prevenir e erradicar as doenças transmitidas por cães e evitar as mordeduras,” explicou Romário Gabriel, diretor de Vigilância Ambiental.

Ainda segundo ele, as clínicas já foram licitadas e têm 15 dias para começarem os serviços. O contrato ficará em vigor durante 12 meses e a expectativa é atender 2.500 animais.

A duração do projeto dos contêineres de castração é de 12 a 60 meses, dependendo da demanda existente e podendo ser prorrogado

É bom lembrar que na última sexta-feira, a prefeitura voltou a se reunir com parlamentares e protetores de animais para reafirmar que o Executivo não tem condições ainda de fazer um abrigo municipal, mas que vai buscar parcerias para poder construir e manter o tão sonhado abrigo.


Fonte:  A Voz da Cidade

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…