Pular para o conteúdo principal

Casal abandona cachorra e é flagrado em Santo André, SP

Prestes a ter filhotes, cadela se encontra na cela de gestação do
canil municipal: novo xodó Foto: Miguel Denser/PSA
Um casal do bairro Centreville, em Santo André, abandonou na última quarta-feira (30), por volta das 11h, uma cadela grávida em frente à GCZ (Gerência de Controle de Zoonoses), onde está instalado o canil municipal. A ação, que configurou em crime ambiental pela Lei Federal 9.605, foi flagrada por agentes ambientais da saúde. Os infratores serão autuados pela Prefeitura de Santo André, inclusive com pagamento de multa, além de serem alvos de boletim de ocorrência registrado pela UIPA (União Internacional Protetora dos Animais).

O artigo 32, da referida legislação de 1998, prevê o crime de abandono de animal para aquele que introduzir ou deixar animais em propriedade alheia, sem consentimento de quem de direito. A pena prevista, neste caso, é detenção de três meses a um ano, além de multa. Pelo artigo 164, do Código Penal, o infrator poderá ficar preso de 15 dias a seis meses.

Qualquer cidadão que testemunhar o abandono pode fazer a denúncia na delegacia de polícia mais próxima. Neste caso, são necessários os dados do infrator e o endereço residencial ou comercial. Na hipótese do flagrante de abandono, situação específica, a pessoa deve anotar a placa do carro, horário e local. A autoridade policial verificará a ocorrência.

Exatamente o que fez a equipe da Zoonoses andreense. "Primeiramente, anotamos os números das placas. A partir delas, conseguimos localizar o endereço e chegar ao casal, inclusive constatamos, durante vistoria realizada nos últimos dias, que são as mesmas pessoas", afirma a médica veterinária Simone Ortiz Rizzotti, responsável pela profilaxia de raiva no órgão.

O boletim de ocorrência foi registrado no 4º Distrito Policial de Santo André, na última sexta-feira (1º) à noite. Porém, a denúncia já foi encaminhada para a Dicma (Delegacia de Investigação de Infrações e Crimes Contra o Meio Ambiente), com sede no Jardim do Mar, em São Bernardo, e responsável pelo atendimento das sete cidades do Grande ABC.

Para o presidente da UIPA (União Internacional Protetora dos Animais), o economista João Vicente Netcer, trata-se de uma ação de saúde pública que deveria ser adotada por outros órgãos públicos. "São poucas as prefeituras preocupadas com a causa animal, principalmente em denunciar casos de abandono e maus-tratos. Neste caso, a Prefeitura entrou com a sanção administrativa; nossa entidade com a punição na esfera criminal", afirmou Netcer, há 20 anos à frente da instituição.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…