Pular para o conteúdo principal

Conheça o chip que pode acabar de vez com os testes em animais

Tecnologia ‘Órgãos-em-Chips’ reproduz o funcionamento de órgãos humanos e deve se tornar uma opção eficaz para testes de remédios e de cosméticos

Dispositivos contêm células e tecidos humanos vivos 

(Foto; Divulgação/Harvard's Wyss Institute)
Há tempos os cientistas vêm buscando uma alternativa aos testes em animais – além da questão ética derivada do sofrimento das cobaias, a própria comunidade científica reconhece sua ineficiência. O motivo? Na maior parte das vezes, o funcionamento do organismo de um rato ou de um coelho se mostra diferente do metabolismo humano. Mesmo sendo parecidos estruturalmente com outros mamíferos, nós somos muito mais complexos. A recém-criada startup Emulate promete aposentar de vez a técnica, por meio de um chip que reproduz com fidelidade a fisiologia dos órgãos humanos.

A tecnologia recebeu o nome de Organs-on-Chips (Órgãos-em-Chips), e foi desenvolvida por uma equipe de bioengenheiros do Instituto Wyss, ligado à Universidade de Harvard. Basicamente, são dispositivos miniaturizados que contêm minúsculos canais preenchidos com células e tecidos humanos vivos, cultivados em um fluido que garante as mesmas condições do corpo humano. “A plataforma fornece, pela primeira vez, uma janela para dentro do funcionamento interno dos órgãos humanos, sem a necessidade de invadir um corpo vivo”, disse em comunicado James Coon, CEO da nova empresa e também um dos membros do grupo de Harvard.

Até o momento, os cientistas conseguiram reproduzir com sucesso pulmão, fígado, intestino, rim e medula óssea, mas garantem que os microchips são adaptáveis a todos os órgãos. A meta é, eventualmente, recriar o corpo humano inteiro com os chips, integrados em um sistema que contenha fluido com células imunológicas. Assim, será possível avaliar efeitos bioquímicos, metabólicos e genéticos de um novo fármaco em células específicas e também suas consequências no organismo como um todo.

Além de tornar obsoletos os testes em animais e garantir resultados muito mais rápidos e seguros, a tecnologia pode também proporcionar avanços significativos na área de medicina personalizada. “Isso vai abrir novos caminhos para desenharmos tratamentos com células-tronco verdadeiramente personalizados, baseados no perfil genético único de cada paciente, contido em seus próprios e individualizados Órgãos-em-Chips”, disse Shlomo Melmed, do Hospital Cedars-Sinai, um dos financiadores da iniciativa.

Neste vídeo em inglês, os bioengenheiros falam sobre a tecnologia e seus potenciais. Confira:



Organs-on-a-Chip from Wyss Institute on Vimeo.
Fonte: Revista Galileu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…