Pular para o conteúdo principal

No AM, quase 300 quelônios são apreendidos em barco no Rio Juruá

Homem de 34 anos foi preso por crime ambiental, segundo a Polícia Civil.
Mais de 20 mil quelônios foram capturados ilegalmente na região neste ano.

Quelônios foram apreendidos em embarcação
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Um mecânico de 34 anos foi preso no município de Juruá, a 674km de Manaus, na segunda-feira (4), por crime ambiental. De acordo com a polícia, ele foi detido em uma embarcação no Rio Juruá com quelônios.

Cerca de 292 quelônios, duas embarcações rápidas de pequeno porte e uma espingarda foram apreendidos. Os animais estavam dentro de vários sacos. Ainda segundo a polícia, cerca de 60 animais já estavam mortos no momento da abordagem, possivelmente, por asfixia.

Um homem e uma mulher, não identificados, conseguiram fugir em uma voadeira no momento da aproximação deles. Na delegacia, o suspeito que foi preso afirmou desconhecer as pessoas. Os 232 animais vivos foram devolvidos ao habitat natural pelas autoridades locais.

Segundo a polícia, as fiscalizações na área são realizadas frequentemente durante os finais de semana, desde o mês de maio, com o objetivo de combater a caça predatória de quelônios na região do Rio Juruá, onde existem lagos que concentram grandes quantidades dessa espécime no Amazonas. Na época da vazante do rio, que acontece de maio a agosto, tartarugas, jabutis e tracajás, se deslocam para a área de várzea, com o intuito de botar ovos e se reproduzir. É nesta fase que caçadores fazem a captura, que é ilegal, e armazenam para comercialização.

Neste ano, de acordo com a polícia, já foram capturados mais de 20 mil quelônios na região de Juruá e vendidos ilegalmente para os municípios de Uarini, Tefé, Fonte Boa, Carauari, Manaus e outros. Em três meses de operação, foram resgatados cerca de 893 animais que seriam vendidos para consumo.

O homem preso foi autuado por crime contra a fauna (artigo 29 da Lei 9.605) e porte ilegal de arma (artigo 14 da Lei 10.826/03). Ele ficará detido na delegacia à disposição da justiça.

Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…