Pular para o conteúdo principal

Cadela agredida no Núcleo Bandeirante é resgatada por protetoras independentes, DF

Cadelinhas aguardam por um lar (Arquivo Pessoal)
A cadela agredida pelo funcionário de um depósito de materiais de construção foi resgatada neste final de semana por protetoras independentes de animais. Carolina Mourão e Roberta Vasconcellos se dividiram para ajudar a filhote e outros dois cães que estavam abandonados no local com sinal de maus tratos.

Segundo relatos de Carolina Mourão, o dono do depósito, que prefere não ser identificado, entregou a cachorrinha para uma desconhecida assim que a reportagem do Balanço Geral mostrou o vídeo de maus tratos na TV.

— Lá tinha um labrador preto, que ficou com a Roberta Vasconcellos. Eu passei o dia inteiro procurando os outros dois. Quando cheguei lá [no depósito] não tinha ninguém e o dono já tinha dado [os outros dois cachorros] para alguém. Fui perguntando na rua até encontra-los lá em Águas Claras.

Agora, a filhote e sua mãe – que receberam o nome de Pérola e Docinho - estão em um lar temporário, a espera de uma família que possa receber as duas juntas, pois, segundo Carolina, elas não conseguem ficar longe uma da outra.

— A que apanhou no vídeo chora e late o tempo todo. Se tirar [a filhote] de perto da mãe um metro, ela grita. Não pode tirar. Muita gente se prontificou para ficar com elas, mas não com as duas de uma vez.

Quando foram resgatados, os três cachorros do depósito estavam repletos de pulga e carrapato. Além disso, os animais apresentavam anemia profunda. Contudo, eles já foram ao veterinário, onde receberam todos os cuidados necessários.

— A mãe está com um problema no olho direito por conta das surras de mangueira que tomou. As duas têm trauma de mangueira, qualquer movimento brusco e elas se encolhem e choram.

A ONG Proanima informou ao R7 que formalizou a denúncia contra o agressor junto à delegacia e que ele será processado. Caso alguém tenha interesse em adotar os animais, basta entrar em contato por meio do e-mail proanima@proanima.org.br

Fonte: R7

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…