Pular para o conteúdo principal

Série do Fantástico: E se você visse um cachorrinho sendo maltratado?

Imagem de cachorrinha presa no sol causa indignação em 'Vai fazer o Que?'


Fantástico estréia, neste domingo (31), a nova temporada da série que desafia as pessoas a tomar uma decisão urgente diante de uma situação polêmica. Interferir ou não? Discutir com um estranho ou seguir em frente sem tomar partido?

No primeiro episódio, uma cachorrinha vai passar por apuros bem diante dos seus olhos.

O desafio é totalmente inédito. Pela primeira vez o "Vai fazer o quê?" envolve uma situação que tem a ver com um animal. Um cachorrinho está passeando com o seu dono na beira da Lagoa, mas o dono está descontrolado, perdeu a paciência, começa a maltratar o animal.

Alexandre é ator, mas teve dificuldade para virar o personagem Daniel, um cara insensível que quer jogar a própria cachorrinha fora.

É importante que você saiba: Amora, a cachorrinha, é quase uma atriz. Faz propaganda, novela e foi especialmente treinada para este papel "dramático".

“Eu finjo que estou brigando, eu grito com ela, mas eu sempre dou uma recompensa, então ela vê que isso não vai fazer mal nenhum para ela. Pela própria estrutura corporal dela: ela está abanando o rabo, os olhos estão atentos, as orelhas não estão para trás, estão para frente. Então ela não está sofrendo de modo algum”, explica a treinadora.

Inicialmente, a cena desperta muitos olhares, mas poucas atitudes. Muita gente de fato passa, presta atenção na cena, mas não para. Talvez intimidada pelo porte atlético do nosso personagem.

Mas a imagem da cachorrinha presa no sol, logo, começa a causar indignação. Um rapaz tomou uma atitude e quase levou a Amora para morar com ele. A partir daí o clima esquentou rápido.

Maltratar animais é crime, que pode ser punido com até um ano de cadeia. E se o bicho morrer, a pena aumenta em um terço. Mas, na prática, quem comete essas crueldades acaba se livrando com o pagamento de cestas básicas ou a prestação de serviços comunitários. Só que existe um projeto de lei à espera de votação no Senado, que quer mudar essas regras. E tudo poderá ser muito mais rigoroso. Quem maltratar um bichinho poderá ficar na cadeia por até seis anos.

Nosso segundo dia de gravações foi um pouco diferente. Ao invés de termos um ator jovem, fortinho, nós vamos ter uma senhora passeando com o seu cão e perdendo o controle. Será que o público vai reagir de uma forma diferente? Assista no vídeo acima!

Desta vez, felizmente, as agressões não eram reais de fato. Reais só os lanchinhos e festinhas que Amora ganhou entre uma gravação e outra. E as boas intenções de quem parou seu dia para salvar um animal.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…