Pular para o conteúdo principal

Antiga moradora da Lagoa Rodrigo de Freitas, capivara ferida comove frequentadores

ONG afirma que agressor, que tentou caçar um dos filhotes do animal, pode ser preso. Ela já foi medicada e passa bem

Capivara da Lagoa que recentemente teve filhotes está ferida
Márcia Foletto / Agência O Globo
Moradora antiga da Lagoa Rodrigo de Freitas, uma capivara está causando comoção nos últimos dias. Mãe de três filhotes que ainda estão em fase de amamentação, ela foi ferida quando tentava defendê-los. Chamada nesta terça-feira por pescadores e moradores da região, a ONG SOS Aves & Cia, que monitora animais na cidade, cuidou do corte na parte lateral do corpo do roedor.

— Ela foi machucada por um pescador que tentou pegar um de seus filhotes para comer. A capivara reagiu para proteger a cria. O responsável por esse crime ambiental pode pegar de três meses a um ano de prisão — diz Paulo Maia, presidente da ONG.

Sete capivaras vivem atualmente ao redor da Lagoa. Elas foram reintegradas ao ambiente pela ONG, que monitora os animais por meio de chips. A organização também orienta os pescadores da região sobre questões relacionadas a crimes ambientais.

— Esse é um problema muito sério, que, infelizmente, é mais recorrente do que deveria. Na Ilha de Paquetá, por exemplo, perdemos oito filhotes de gambá em decorrência do envenenamento da mãe por chumbinho. Mas, felizmente, temos parceiros que nos avisam, como os pescadores da Lagoa, que denunciaram este caso — conta Paulo, ressaltando que é importante que as pessoas não tentem manter contato com os roedores ou alimentá-los.

Bombeiros e a Patrulha Ambiental da Secretaria municipal de Meio Ambiente também estiveram no local a pedido de pessoas que se comoveram com o sofrimento do animal. Moradora do Rio há dois meses e meio, a russa Davia Argunova, de 23 anos, corre na Lagoa e diz já conhecer o comportamento da capivara.

— Sempre os vejo enquanto corro. Sei que ela não deixa os filhotes soltos, como está acontecendo agora. Ela deve estar muito fraca. É preciso que tomem providências — disse, comovida.

Para tranquilizar os frequentadores da Lagoa, o presidente da ONG afirmou que o animal está fora de perigo:

— A capivara já foi devidamente medicada e agora a ferida vai se curar com o tempo.

Fonte: O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'A FAZENDA' THIAGO GAGLIASSO VOLTA A BATER NAS CABRAS - OUTRA PUNIÇÃO

Abaixo trechos onde fica explícito o desprezo, o abuso e o desrespeito pelos animais. Olha uma de suas frases:
- não posso te agredir, mas, posso te agredir verbalmente....
No final da votação, debochando, ele se dirige "aos criadores de cabra" pedindo desculpas e avisa que amanhã teria uma reunião com todas elas.
O diretor do programa disse, em entrevista, que agressão aos animais daria expulsão. O que falta além da confissão do tal participante? Será que é porque o Thiago já veio marcado para ganhar por ser cunhado do auditor do referido programa? Quem falou foi ele mesmo, gente!

Fonte: O Grito do Bicho
Voltar ao Blog do Orion de Sá

ERGONOMIA - CADEIRA DE RODAS PARA CÃES AMIGO

Nir Shalom, um designer industrial israelense, criou esse cadeira de rodas que permite que o cão tenha mais liberdade em seus movimentos, além de mais conforto. Apresentada no mês passado em Milão. A cadeira se encaixa no quadril do cão e permite que ele consiga se deitar, correr e sentar.
Voltar ao Blog do Orion de Sá

DIGA NÃO A LEGALIZAÇÃO DA CAÇA! DIGA NÃO AO RETROCESSO!

Recentemente estamos vivendo no nosso país uma série de retrocessos, que vão contra toda a luta pelos direitos dos animais até hoje. Proibida desde 1967, a caça de animais silvestres na verdade, nunca deixou de existir no Brasil e esse é um dos principais fatores que levam à extinção de várias espécies ameaçadas. Mas um projeto tramita na Câmara dos Deputados prevê a regulamentação do exercício de caça no país. Trata-se do Projeto de Lei 6268/16 de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), membro da bancada ruralista. O projeto anula a Lei de Proteção à Fauna (Lei 5.197/67), que proíbe o exercício da caça profissional. Defensores do projeto de lei justificam que é preciso conter algumas espécies, pois são consideradas invasoras e oferecem perigos ao ecossistema. O projeto de lei também retira da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) o agravamento até o triplo da pena de detenção de seis meses a um ano, e multa, por matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar animais sem licenç…